1. Ornitologia
  2. Sabia?
  3. Fichas de Aves
  4. Fotos
  5. Vídeos

 

 

“Quanto mais aumenta nosso conhecimento, mais evidente fica nossa ignorância”

John F. Kennedy

 

 

 

? SABIA QUE ?

 

TERMOS E FACTOS SOBRE AS AVES:

(todos estes factos foram confirmados e não são o resultado de erros dactilográficos)

 

 

 

 

ver outras aves do ano de:

 

 

 

 

 

 

 

AVE DO ANO 2016

 

 

BRITANGO OU ABUTRE-DO-EGIPTO

 

Neophron percnopterus

 

 

O britango foi a ave escolhida pela Sociedade Portuguesa para o Estudo das Aves [SPEA] para ser a ave do ano de 2016, pretendendo com isto desmistificar o conhecimento e preconceitos existentes à volta dos abutres. O britango ou abutre-do-egipto (Neophron percnopterus) é o mais pequeno dos abutres que habitam a península ibérica enfrentando um grave declínio mesmo a nível mundial. Em Portugal já desapareceu do sul do país e é muito raro no centro, sendo atualmente uma das espécies alvo do projeto Life Rupis a decorrer nas áreas protegidas do Douro Internacional e Vale do Rio Águeda e Arribes del Duero.

Ao distingui-lo como ave do ano pretende-se que o britango passe a ser mais conhecido e acarinhado pelo público e que assim seja reconhecido como um ilustre representante das aves necrófagas.

O britango é um abutre ... e os abutres são feios, comem carne em decomposição e estão associados à morte e a maus prenúncios. Infelizmente, e apesar da sua importância para o ecossistema, os abutres são associados à imagem desatualizada que os tornaram num dos heróis mais mal-amados no mundo animal. A SPEA pretende com esta campanha contribuir para alterar atitudes e dar a conhecer esta espécie de abutre tão importante para o equilíbrio ambiental. Eles são autênticas “aves limpa lixo”, uma vez que se alimentam de carcaças de animais mortos, muitos deles doentes, controlando assim, a proliferação de pragas e doenças, como a febre bubónica, a tuberculose, o botulismo e a brucelose. Nos últimos 30 anos, a sua população diminuiu 30% em Portugal e por isso está em perigo de extinção. Esta diminuição deveu-se a diversos fatores associados à qualidade do habitat, perturbação e perseguição.

Esta pequena ave de rapina de plumagem essencialmente branca e preta, face amarela e cauda longa, pode ser vista em Portugal a partir de finais de fevereiro, permanecendo nas zonas de nidificação de março a setembro. Em Portugal é um migrador estival nas regiões de Trás-os-Montes e no Douro internacional, preferindo zonas acidentadas, normalmente em vales fluviais e montanhas, nidificando em buracos e plataformas rochosas. Durante o outono migra para sul, passando o inverno na África sub-saariana. Prefere zonas acidentadas, normalmente em vales fluviais e montanhas, nidificando em buracos e plataformas rochosas.

O britango alimenta-se de carcaças de outras aves e de mamíferos, bem como de fruta e vegetais já em estado de decomposição, uma característica única entre os abutres entre os abutres. Por vezes, podem caçar animais debilitados. Uma das curiosidades mais interessantes da espécie, que a torna numa das aves mais “inteligentes”, é a sua capacidade de usar pedras para partir ovos de avestruz para se alimentar, quando está em África.

Em Portugal, o Douro Internacional é um dos locais onde é mais fácil observá-lo, mas ocasionalmente ele surge noutros pontos do país. No Douro de Portugal e Espanha, encontram-se uma das mais importantes populações da Península Ibérica, com 116 casais. Ainda assim em 2000 haviam contabilizados apenas 83 casais.

São ameaças à população de britango em Portugal:

- a utilização de iscos envenenados para eliminar predadores de espécies pecuárias

- a redução da disponibilidade alimentar devido ao cumprimento das exigências higieno-sanitárias nomeadamente a obrigação de enterrar os cadáveres dos animais de criação

- a diminuição do aproveitamento pecuário extensivo de ovinos, caprinos e bovinos

- a modernização agrícola com consequente rarefação doas animais de carga e tração

- a colisão e electrocução em linhas aéreas de distribuição e transporte de energia

- a degradação dos habitats de nidificação e / ou alimentação

- a instalação de parques eólicos em corredores importantes para a migração e dispersão de aves

- a perseguição humana

- a rarefação das populações de coelho-bravo

- a falta de conhecimento científico acerca destas aves

Segundo Domingos Leitão, coordenador do Projeto LIFE Rupis, “o britango é a escolha mais óbvia para este ano, uma vez que iniciámos um grande projeto de Conservação no Douro Internacional, em que ele é uma das espécies-alvo. Até à data nunca tivemos uma espécie necrófaga como Ave do Ano, por isso achamos que será não só uma excelente oportunidade para dá-la a conhecer, como também para explicar o serviço fundamental que os abutres prestam na limpeza dos ecossistemas naturais.”

A campanha da Ave do Ano envolverá ações de divulgação, nomeadamente presença em eventos e feiras, irá disponibilizar wallpapers com calendário e irá estar em sintonia com as ações do projeto Life Rupis.

 

 

 

S.P.E.A. ave do ano 2016

(este link é da responsabilidade da S.P.E.A. e pode vir a ser desactivado pela mesma)

 

 

 

SEO Birdlife ave del año 2016

(este link é da responsabilidade da SEO Birdlefe e pode vir a ser desactivado pela mesma)

 

 

 

 

 

 

 

PORTUGAL

 

ESPANHA

 

 

 

 

 

 

 

2010

 

CEGONHA-PRETA

Ciconia nigra

 

ABUTRE-NEGRO

Aegypius monachus

 

 

 

 

 

 

 

2011

 

CAGARRA

Calonectris diomedea

 

MOCHO-GALEGO

Athene noctua

 

 

 

 

 

 

 

2012

 

ROLA-BRAVA

Streptopelia turtur

 

ROLIEIRO

Coracias garulus

 

 

 

 

 

 

 

2013

 

ABETARDA

Otis tarda

 

CAGARRA

Calonectris diomedea

 

 

 

 

 

 

 

2014

 

CEGONHA-BRANCA

Ciconia ciconia

 

ANDORINHA-DAS-CHAMINÉS

Hirundo rustica

 

 

 

 

 

 

 

2015

 

FURA-BARDOS

Accipiter nisus granti

 

ROLA-BRAVA

Streptopelia turtur

 

 

 

 

 

 

 

2016

 

BRITANGO

Neophron percnopterus

 

PARDAL

Passer domesticus

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Copie o banner ON: